Prevenção às arboviroses deve continuar durante pandemia - Cariri Ativo - A Notícia Com Credibilidade e Imparcialidade
Prevenção às arboviroses deve continuar durante pandemia

Prevenção às arboviroses deve continuar durante pandemia

Compartilhar isso
A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) reforça a importância de prevenção às arbovirores ao longo de todo ano. Em tempos de pandemia, a população deve manter os cuidados em dia para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, Zika Vírus e Chikungunya.
Entre os dias 1º de janeiro e 20 de junho deste ano, foram confirmados no Ceará 11.082 de dengue, 316 de chikungunya e 15 de Zika Vírus. Os dados constam no boletim epidemiológico das arboviroses, divulgado nesta quinta-feira (2).
Os sintomas mais comuns da dengue são febre alta, dor no corpo (muscular e/ou articulações), dor de cabeça e atrás dos olhos, além de erupções na pele. Há ainda os “sinais de alarme”, como dor abdominal persistente, sinal de sangramento e tontura.
“Mesmo com a pandemia de Covid-19, não podemos esquecer de forma nenhuma do combate às arboviroses e de atitude simples no dia a dia, como olhar o quintal e identificar possíveis focos do mosquito. É importante verificar se não já nenhum recipiente ou reservatório que possa acumular água”, lembra a coordenadora de Vigilância Ambiental da Sesa, Roberta de Paula Oliveira.
A prevenção é a principal forma de combater o Aedes aegypti. Por isso, recomenda-se manter os quintais sempre limpos e recolher objetos que possa acumular água, como pneus velhos, latas, recipientes plásticos, tampas de garrafas, copos descartáveis e até cascas de ovos. O lixo doméstico deve ser acondicionado em sacos plásticos e descartado adequadamente, em depósitos fechados.
Tendo como base o Plano Estadual Integrado em Saúde para Enfrentamento das Arboviroses, a célula de vigilância epidemiológica da Sesa realiza monitoramento sistemático do cenário epidemiológico no Ceará. “Vamos aproveitar o isolamento social e a possibilidade de estarmos em casa para não permitir a entrada do mosquito no lar. O combate à dengue é dever de todos nós.”, frisa Roberta.
Fátima Holanda - Texto
Fabio dos Santos - Arte Gráfica

03.07.2020