Cearense trabalhou 25 dias para concluir imagem entregue ao Papa: ‘Sem palavras para descrever’ - Cariri Ativo - A Notícia Com Credibilidade e Imparcialidade
Cearense trabalhou 25 dias para concluir imagem entregue ao Papa: ‘Sem palavras para descrever’

Cearense trabalhou 25 dias para concluir imagem entregue ao Papa: ‘Sem palavras para descrever’

Compartilhar isso

 

Glailton da Silva (à esquerda) entregou a escultura ao padre Reginaldo Aragão, da Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Caridade. (Foto: Arquivo pessoal)
Foi a partir de um pedido feito pelo arcebispo de Fortaleza que o artista Glailton da Silva Sousa, 31 anos, de Caridade, no Ceará, viu um dos objetivos de vida dele se concretizar: ter uma de suas obras entregues ao Papa Francisco. A arte foi entregue ao sumo pontífice na quinta-feira (12), durante uma visita de dom José Antonio Aparecido Tosi Marques ao Vaticano, que entregou ao pontífice uma imagem de São José feita pelo artista.

“Não tenho palavras para descrever o momento. Era um dos objetivos que eu tinha em mente, de realizar, mas eu não sabia como. Graças a Deus, uma das coisas que quero deixar destacado, é o meu agradecimento ao arcebispo Dom José, de Fortaleza, que confiou no meu trabalho”, disse Glailton da Silva.

A escultura de 38 centímetro de comprimento foi talhada em madeira de cedro e levou 25 dias para ser concluída pelo artesão, que registrou em vídeo desde o início da confecção até conclusão da imagem do padroeiro do Ceará.

Após a conclusão, em 24 de abril, Glailton entregou a escultura ao padre Reginaldo Aragão, da Paróquia Nossa Senhora das Dores, da localidade de Campos Belos. O padre, por sua vez, entregou a Dom José, antes dele embarcar para o Vaticano.

A relação de Glailton com o arcebispo de Fortaleza vem desde 2015, quando o artista trabalhou na reforma do Seminário da Prainha. “Ele vem acompanhando meu trabalho desde então e eu fiquei muito agradecido pela consideração que ele teve com o meu trabalho e graças a Deus deu certo entregar”, afirma o artista.

A foto de dom José Antonio entregando a imagem ao Papa Francisco foi compartilhada pela Arquidiocese de Fortaleza, no sábado (14).

‘Comecei por pura curiosidade e necessidade’

Artesão há 10 anos, Glailton é autodidata no mundo da arte e começou a pintar e esculpir por necessidade.

“Comecei por pura curiosidade e necessidade, pois eu não tinha trabalho e não arranjava emprego. Comecei com pequenas pinturas, depois pequenos trabalhos de madeira. Muita curiosidade e necessidade para não passar mais fome na vida”, relata o artista.

Este ano, o cearense participou de um curso na cidade de Ouro Preto (MG), onde aprendeu a técnica de pintura e conheceu outros escultores.

“Através do meu trabalho e da minha arte eu consegui sustentar minha família, meus irmãos, minhas irmãs nos momentos mais ruins, de passar fome mesmo. Agora tenho minha própria família e já conquistei algumas coisas. Gosto muito do que eu faço, estou muito feliz pelo meu trabalho está me proporcionando dias maravilhosos, pois hoje estou colhendo frutos bons”, afirma Glailton.

Fonte: G1 CE

miseria.com.br

16.05.2022